'Nossa bandeira é Franca'

03/10/2018

A campanha "Voto Nosso ACIF", criada no período eleitoral de 2002, chega em sua quinta edição com o objetivo de conscientizar os francanos sobre a importância de eleger candidatos a deputado estadual e federal que estejam registrados nesta região. A iniciativa da Associação do Comércio e Indústria de Franca enfrenta desafios, como a grande quantidade de postulantes aos cargos públicos e a evasão de votos para candidatos de outras regiões do estado, mas segue como o principal posicionamento da instituição no período político.

Em entrevista ao Diário Verdade, o presidente da associação, Dorival Mourão Filho, falou sobre a necessidade de conscientizar o eleitorado francano e como a ACIF pode colaborar neste sentido.

Diário Verdade - Por que os eleitores francanos devem priorizar candidatos aos cargos de deputado estadual e federal registrados em Franca? Dorival Mourão Filho - Nós fizemos um estudo recentemente onde notamos pelo levantamento que, nos últimos sete anos, apenas de verbas impositivas, nós perdemos 116 milhões de reais. Esse é um número muito significativo, e aponta só para verbas impositivas. Quando pensamos em outros projetos que um deputado pode trazer para nossa região, fica escancarada a necessidade de nós termos uma melhor representatividade (política).

DV - Quais ações são promovidas pela ACIF durante o período eleitoral dentro da campanha Voto Nosso? Mourão - Nós estabelecemos o Voto Nosso com essa ideia de apoiar, incentivar que o francano vote em deputados da região. Nos últimos anos promovemos alguns debates esperando que, com isso, pudéssemos elucidar um pouco mais e canalizar o voto francano para candidatos francanos. Mas neste ano ficou mais difícil pela pluralidade de candidatos e a gente achou que um debate não ia ser produtivo. Resolvemos fazer outras ações, criamos um instituto de pesquisa, fizemos uma pesquisa no sentido de mostrar como anda o voto francano. E o dado que realmente assustou muito foi de que o nível de indefinição sobre quem o eleitor gostaria de votar era muito grande, e os votos brancos e nulos.

DV - Quais as chances reais dos eleitores francanos garantirem representatividade local nestas eleições? Mourão - As chances são muito boas. Se nós tivéssemos um trabalho um pouco mais coletivo, seriam enormes. Não só de (eleger) um (deputado) federal, mas de pelo menos dois. Contextualizando Franca como uma região, nós sabemos que temos por volta de 440 mil votos. Franca é sede de uma região, tanto é que temos apenas um candidato de outra cidade pertencente à nossa região. Se a classe política trabalhasse com menor número de candidatos, fizesse parcerias maiores e com grande conscientização, atingir dois deputados federais seria extremamente fácil. Com esse trabalho, esperamos que faça no mínimo um. Mas acredito que temos chances de dois federais e dois estaduais.

DV - Nem todos os votos registrados em Franca são destinados a candidatos locais. Em sua opinião, o que impede o eleitor da cidade a escolher um representante francano para o Poder Legislativo? Mourão - Isso precisaria de um estudo mais aprofundado. O que percebemos é que existem ligações por cunho religioso, por exemplo, por instituições. A Apae tende a canalizar votos para alguns candidatos. E assim por diante. Tem o famoso voto na pessoa mais conhecida: ator, atriz, o famoso voto no Tiririca. Nas últimas eleições tivemos próximo de sete mil votos (no candidato), na nossa pesquisa ele apareceu com 1,2% da intenção de votos. Falta aí uma falta de conscientização do papel do deputado estadual e federal. Nós somos partidários do voto distrital.

DV - Portanto o apoio da Acif é apartidário? Mourão - Totalmente apartidário. Nosso apoio é no sentido de que a cidade tenha representatividade, que nós tenhamos um deputado na Câmara Federal, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Que seja um interlocutor das instituições e do Poder Executivo, que nós possamos acessá-lo na busca por projetos, e mesmo pelas verbas às instituições, que são tão necessárias, e não temos bandeira absolutamente. Nossa bandeira é Franca, nossa bandeira é em prol da cidade, da comunidade e da nossa região.

DV - Quais os maiores desafios enfrentados pelos candidatos de Franca que disputam vagas de deputado estadual ou federal neste ano? Mourão - Acreditamos que o primeiro (desafio) é a nossa legislação eleitoral. É um descalabro. Os políticos locais, e todos de uma maneira geral, tendem a trabalhar mais em prol de seu partido e de si próprio do que da comunidade. Temos o voto branco, a abstenção, o voto alienígena, em quem vota em candidatos de fora por diversas razões, e desse remanescente temos que disputar com 12 candidatos deputados a federal e nove a nível estadual. É uma pulverização que confunde o eleitor.

DV - Esta é a quinta edição da campanha Voto Nosso. As metas desta iniciativa ficaram mais desafiadoras ou mais fáceis de serem alcançadas após 16 anos? Mourão - As metas estão muito mais desafiadoras. A falta de liderança, de congregação política, de uma política mais convergente para a cidade torna isso muito mais difícil. Como é que faço debate? É produtivo, algo bom de se ver. Mas com dez, doze candidatos, é tecnicamente impossível de se realizar um debate.

Fonte: Diário Verdade - Giovane Pedigone

  •