5 dicas para evitar canos em trabalhos como freelancer

09/05/2018

Trabalhar como autônomo não é tarefa fácil. Para ser freelancer, é preciso ter muito planejamento financeiro e saber lidar com os clientes, principalmente quando o assunto é pagamento. Porém, seguir alguns passos, como ter uma boa reserva financeira e estabelecer contratos, te ajudará a se prevenir de ter prejuízos.

“Ter um dinheiro guardado, já preparado para eventuais problemas com o pagamento, fará toda a diferença. É importante antever essas situações para que não prejudique sua produção, principalmente para aqueles que vendem produtos. Outro ponto relevante é ponderar sobre sua capacidade de gerenciar o dinheiro da empresa. Caso seu talento seja mais voltado para a criação, pondere sobre ter alguém responsável pelas suas finanças”, comenta Oyvind Oanes, CEO do Numbrs, aplicativo europeu especializado em gestão financeira pessoal.

Para te ajudar, separamos 5 dicas de como evitar levar canos dos clientes. Confira!

1 — Faça contratos na hora da venda

O contrato é uma forma de garantia jurídica para o consumidor e, principalmente, para o vendedor. Esse instrumento tem o potencial de diminuir os problemas na prestação de algum serviço e na inadimplência dos pagamentos. Estipule prazos e construa cláusulas que protejam tanto o seu negócio quanto o seu cliente. Assim, além de fidelizá-lo, você terá certa segurança para trabalhar com tranquilidade.

2 — Dê preferência a plataformas seguras de pagamento online

Uma boa forma de evitar cano dos clientes é utilizar plataformas seguras de pagamento online, como o PagSeguro. Com elas, é possível receber o valor do serviço antes de usufruir da compra. Além disso, você tem a facilidade de prever o fluxo de caixa do negócio. Esses sites oferecem, ainda, a possibilidade de utilizar cartões de qualquer bandeira e de incluir moedas estrangeiras.

Caso você ofereça um tipo de serviço em que não é comum o pagamento total da compra, considere pedir pelo menos 50% de entrada no momento da venda. Com essa atitude simples, você já garante parte do seu lucro em caso de calote e diminui a inadimplência.

3 — Não tenha medo de negociar e de cobrar

Estabeleça seu preço no momento da negociação e tenha uma tabela fixa com os valores dos seus serviços ou produtos. Assim, seus clientes saberão o real valor do seu trabalho. Deixar margem para informar o preço final depois na negociação pode te colocar em situações desconfortáveis.

Caso você tenha dificuldade em cobrar o valor devido dos seus clientes, uma alternativa é ter alguém responsável por essa tarefa. Assim, você pode se concentrar na parte criativa e manter uma boa relação comercial, preocupando-se exclusivamente em vender o seu produto ou serviço.

4 — O cliente não me pagou. E agora?

Estar nessa situação não é fácil, principalmente porque a falta de pagamento afeta diretamente o seu orçamento. O primeiro passo é tentar negociar com o cliente, com muito profissionalismo. Caso a negociação não tenha surtido efeito e você tem um contrato assinado com a pessoa, é possível procurar os meios judiciais. Outra dica importante é realizar as transações mediante nota fiscal, como uma forma de se resguardar caso ocorra algum problema futuro.

5 — Tenha dinheiro guardado para imprevistos

Para que o não pagamento do seu produto ou serviço impacte nos seus rendimentos, é fundamental ter uma reserva financeira. Evite que todas as suas despesas fiquem diretamente ligadas aos pagamentos pontuais dos clientes. Ter essa reserva te ajudará, inclusive, no momento da negociação, onde será possível oferecer melhores prazos, por exemplo.

“Se as contas apertaram, seja criativo. Faça alguma promoção relâmpago naquele mês para reestruturar o seu caixa. Mas lembre-se de sempre praticar essas dicas a fim de blindar suas finanças. E atenção, mantenha sempre uma boa relação com seus clientes, pois a propaganda deles poderá impactar diretamente na quantidade de vendas ou prestação de serviços”, conclui Oanes.

Fonte: Numbrs Brasil

  •