7 dicas para conquistar um trabalho temporário neste fim de ano

06/11/2017

Com a proximidade das festas de fim de ano, chega também a expectativa de conseguir um trabalho temporário. A estimativa da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) é que, até dezembro, cerca de 375 mil pessoas sejam contratadas na áreas de indústria, comércio e serviço. Depois de dois anos em queda, as contratações devem voltar a crescer em 2017 por conta das mudanças na legislação trabalhista.

Para quem busca uma oportunidade, essa pode ser a melhor época de distribuir currículos. Mas a consultora de desenvolvimento humano e organizacional Adriana Schneider alerta. “Os processos seletivos para vagas temporárias costumam ocorrer de forma programada e antecipada, principalmente os de final de ano. Sendo assim, os meses de setembro e outubro são os mais adequados para iniciar a procura e encaminhar os currículos. Estamos em novembro, é preciso agir rápido.”

Confira 7 dicas para concorrer a uma dessas vagas temporárias e tentar entrar em 2018 com um emprego fixo:

1. Procure a vaga de acordo com seu perfil

A primeira coisa a se fazer é traçar uma estratégia e pensar quais empresas aumentam sua produção neste período. “Assim como quem busca um trabalho regular, tem que seguir 3 etapas fundamentais: definir o foco, o objetivo; preparar um currículo adequado ao objetivo; planejar o que irá fazer, onde irá buscar, como e quando”, afirma Adriana.

Planejar o caminho a ser seguido pode proporcionar mais clareza em como se preparar para a vaga escolhida. “Como no trecho do filme Alice no País das Maravilhas ‘Quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve’, portanto, antes de sair e procurar seu novo trabalho, defina exatamente o que busca para sua carreira”, pontua a coach de carreira e psicóloga Renata Cox.

dicas-emprego

2. Como escolher a melhor vaga

Não vale atirar para todos os lados. Ter foco e objetivo ajuda na hora de conquistar a tão sonhada vaga de emprego, mesmo que temporária. O ideal é que o candidato tenha um autoconhecimento e saiba quais são suas habilidades, competências e características principais.

“A melhor vaga é aquela que está alinhada ao perfil comportamental e com os conhecimentos, habilidades e atitudes do candidato. Colocar a pessoa certa no lugar certo requer um olhar analítico e detalhado para diversos aspectos. Desta forma, tanto empresa como colaborador ficam satisfeitos e têm resultados extraordinários”, observa Renata.

3. Programe-se para tentar a vaga

O melhor período para procurar vagas temporárias é entre o final de outubro e o começo de novembro. Se deixar para depois, pode não dar tempo. “Na segunda quinzena de novembro, as empresas estão em processo de seleção e na fase de organizar o treinamento dos novos colaboradores”, ressalta Renata.

Já para quem busca por vagas regulares, Adriana dá a dica. “Geralmente o mercado aquece um pouco mais depois do carnaval. Mas cada empresa tem suas demandas. No entanto, para uma recolocação efetiva é importante estar sempre mapeando vagas.”

4. Capriche no currículo

Coisas como erros de português, informações falsas, descuido na formatação e muitas páginas prejudicam quem está procurando emprego. “O currículo é sua porta de entrada e não apenas um documento. É importante que seja construído com atenção e cuidado, refletindo quem é o candidato e o que ele quer transmitir, diz Adriana.

Atualizar os dados pessoais, como email e telefone para contato, é primordial. E lembre-se de tomar cuidado para não deixar poucas informações sobre o histórico profissional no campo de experiências. “Ao deixar seu e-mail, lembre-se de olhar diariamente a caixa de entrada, pois esse é o canal mais utilizado pelas organizações para se comunicarem com os candidatos. É importante também recordar que o endereço do e-mail deve ser adequado. Evite apelidos, brincadeiras e nomes que não demonstrem profissionalismo”, destaca Renata.

5. Cuidados durante o trabalho

Mesmo em um trabalho temporário, seguir algumas regras ajuda a garantir a efetivação. Se dedicar à função, ser proativa, disponível, comprometida e fazer tudo da melhor forma. “Concilie o perfil comportamental aos resultados técnicos. Cumpra as regras, busque os resultados esperados e seja gentil com os colegas, clientes e parceiros”, aconselha Adriana.

Tenha sempre em mente que se esforçar trará resultados futuros. “O comprometimento do colaborador que tem um trabalho temporário não deve ser diferente dos demais. O fato de estar há pouco tempo na organização não significa que não deva cumprir as regras, pelo contrário. Quanto mais comprometido e alinhado com os valores, missão e visão da empresa, mais o colaborador será reconhecido por ela”, esclarece Renata.

6. Para ser efetivada

O novo ano chegou e, com ele, a vontade de manter o emprego. O comportamento durante os meses anteriores será o diferencial para a contratação. “Demonstre ser comprometida, interessada e aproveite o período para conhecer melhor a organização e checar se o que ela realmente oferece está alinhado com o plano de carreira e o que se deseja para o futuro”, explica Adriana.

Pensar a longo prazo é outro ponto a ser considerado. Além de realizar boas entregas, entenda o que é esperado para a função. “Ou seja, dedique-se à posição independente das oportunidades futuras. Depois, responda para si com honestidade: “Quero passar uma boa parte dos meus dias e anos nessa organização?”, completa Adriana.

7. Para investir na carreira

Procurar um emprego dá trabalho. Investir na carreira é uma boa saída para se manter ativa no mercado de trabalho. A primeira dica de Adriana é se procurar se conhecer cada vez mais. Identificar as potencialidades, talentos, valores, o que tem de bom e o que precisa melhorar. O próximo passo é se preparar para as entrevistas, pesquisar quais são as perguntas mais comuns, como responder com transparência e coerência, conhecer suas dificuldades e saber explicá-las.

Estudar e atualizar-se sobre sua área de atuação faz parte do crescimento. “Invista tempo em cursos. Há diversos cursos, inclusive gratuitos, que ajudam a complementar formação no currículo, desenvolver novas habilidades e se manter atualizada”, conclui Adriana.

Fotos: Shutterstock

Fonte: Finanças Femininas -Gabriella Bertoni

  •