Como começar 2020 com positividade

ACIF em Revista - edição 277 - Janeiro

 

Novo ano, novos sonhos e também novas atitudes. A maioria das pessoas faz seus pedidos na virada do ano, acreditam em simpatias e usam uma cor específica desejando ter saúde, dinheiro, paz e amor. Mas o que muitas não sabem é que tudo isso só funciona se for acompanhado de mudanças de atitudes no cotidiano da vida. A ACIF em Revista traz em sua matéria de capa um olhar sobre como começar o ano com mais positividade mesmo em meio às dificuldades que todos possam ter.

Segundo Juscelino Neves, palestrante, especialista em gestão de pessoas e diretor da Kriar - Gestão de Pessoas, todas as pessoas têm tendência a negatividade. Ela vem por meio da hereditariedade, pelas experiências de vida de cada um e também é algo cultural. Com isso, em sua maioria, as pessoas não acreditam em si mesmas e nem em seu potencial. “Nosso comportamento é movido por aquilo que acreditamos e para iniciar o ano com positividade primeiro precisamos reavaliar o ciclo do fracasso em que estamos inseridos. Nós não percebemos, mas ele está presente em nossa vida todos os dias. Quando identificamos essa negatividade, de onde ela vem, qual é o histórico, se vem da mãe, do pai, dos amigos, conseguimos expandir a nossa consciência”, afirma Juscelino.

De acordo com o especialista, as pessoas querem ter uma vida melhor, mas não acreditam que podem e que vão conseguir. Para tanto, é preciso fazer uma análise e identificar esses pontos de fracasso e autodestruição, e quais são as forças negativas que fazem com que não haja progresso em suas vidas. “Às vezes a pessoa está há muito tempo desejando ter uma vida melhor, ter uma casa melhor ou um emprego melhor e não consegue porque há uma competição enorme dentro de si entre o que quer e aquilo que acredita. Fazer essa autoanálise é o primeiro grande passo”.

Para fazer essa autoanálise, Juscelino explica que é preciso fazer algumas perguntas chaves para si mesmo: na minha vida pessoal quais são os pontos negativos que preciso eliminar?; quais os comportamentos que possuo no meu ambiente de trabalho e que não são bons?; como está meu ciclo de amizade?; convivo com pessoas negativas ou positivas?; sei para onde estou levando a minha vida?; como está a minha relação com o dinheiro?; no campo emocional eu tenho autocontrole?; eu domino as minhas emoções ou deixo que elas me dominem?; enxergo o que tenho de ruim?.

Após expandir a consciência, anotar o plano de ação e criar sua linha de evolução, o especialista diz que ainda é preciso desenvolver o lado espiritual, ter uma conexão com Deus. Ter tempo para meditar, para rezar ou até mesmo um momento para fazer uma revisão de valores, deve fazer parte da rotina de qualquer pessoa. “Quais são os valores que conduzem a minha vida? Eu falo que tenho esperança, mas eu vivo como alguém que tem esperança ou eu só falo?; Como está minha fé?; Tenho momento de felicidade ou só fico focado em coisas pesadas?. Olhar um pouco para dentro de si, aumenta a sua positividade”.

 

Como se comportar

A pessoa negativa tem pouca confiança e possui baixa estima, seja no campo profissional ou pessoal. Além disso, sua característica principal é reclamar de tudo, e esse tipo de pessoa age como uma onda, seja no ambiente de trabalho ou familiar, e muitas vezes contamina o circulo em que faz parte. Olhar ao redor faz parte da autoanálise.

“Começar a perceber que a vida têm situações difíceis, mas que isso faz parte da dinâmica natural da vida. O grande problema é que muitas vezes estamos carregando fardos não que a vida trouxa, mas que a gente mesmo colocou e depois se arrasta por anos e não conseguimos nos livrar”.

Com toda a identificação do comportamento negativo e dos novos pensamentos, é preciso então novas atitudes. De acordo com Neves, ser uma pessoa positiva é olhar a vida sob outras perspectivas, por isso é tão importante os valores e características como a fé, a alegria, a motivação e a esperança. Para o profissional, para dar o melhor de si no ano que começa, qualquer pessoa tem que estar bem consigo mesma.

“Tem que fazer o que gosta, aquilo que te impulsiona, que te dá prazer e que te estimula. Para aumentar a positividade, é preciso olhar para as coisas pequenas do dia a dia. Às vezes achamos que construir isso é pesado, mas isso não custa nada. Para produzir bem, ter bons resultados dentro de uma empresa, dentro de casa, na faculdade, nas amizades, é preciso ter autoestima boa e consequentemente acreditar no seu potencial”.

Por fim, Juscelino lança um desafio: “Faça um compromisso com você: que em 2020, você, leitor, seja uma pessoa mais positiva e bem menos negativa!”.

 

 Leia a revista completa: https://bit.ly/301bckM

Texto: Ana Luiza Silva

Fotos: Divulgação

  •