Como custos e despesas influenciam o lucro do negócio

05/04/2018

Salário e pró-labore


Para saber qual o lucro de um negócio, primeiro é preciso saber quais os custos e despesas a serem considerados.

Pessoal: salários e pró-labore

Salário. Remuneração paga a colaboradores pelo trabalho realizado por eles em determinado período.

Pró-labore. O conceito é o mesmo, com uma diferença: o pró-labore só é pago aos sócios que trabalham na empresa.

Salários e pró-labore não variam em função do volume de vendas. Por isso são considerados despesas fixas, exceto os das pessoas ligadas à produção ou ao serviço. Neste caso, são considerados como custos.

Provisões. Além da remuneração mensal, certas verbas salariais são guardadas e pagas somente em datas específicas, em função de regulamentação legal ou da convenção coletiva de trabalho.

As provisões são valores que devem ser calculados mês a mês, apesar de seu desembolso ocorrer no futuro.

É aconselhável fazer uma reserva mensal para provisionar esses valores, em conta bancária específica, preferencialmente remunerada.

As principais provisões, calculadas em função do valor dos salários, são para os pagamentos de:

13.º salário;

Adicional de férias

Indenização trabalhista;

Encargos sociais; e

Benefícios.


As provisões devem ser feitas mensalmente, para se apurar corretamente o resultado na empresa, depositando-se os valores numa conta bancária específica, a fim de evitar problemas de caixa quando chegar o momento dos pagamentos. Para indenização trabalhista, utilize como base para definir o índice de rotatividade o índice do ano anterior.

Cálculo de mão de obra

Sistemas de cálculo de custos com mão de obra

Na formação do preço de venda, o valor dos custos da mão de obra poderá ser calculado de maneiras diferentes:

Custo médio: é o método que utilizamos para o rateio das despesas, levando em conta a produção média de um período anterior, ou de um período projetado, que expresse a realidade ou a capacidade de produção instalada para aquele produto.


Custo do minuto projetado: como forma de rateio das despesas, utilizamos o tempo disponível de produção e atribuímos a esse período o percentual de eficiência da empresa.


Custo do minuto trabalhado: as despesas são rateadas entre o tempo efetivamente considerado e o faturamento efetuado pela empresa.


Nesta forma de cálculo, quando efetuamos o cálculo de preço, estamos adicionando as despesas com mão de obra. Portanto, quando efetuarmos a venda de um produto, estaremos, na realidade, vendendo a quantidade de tempo despendido em sua elaboração.

Fonte: SEBRAE

  •