Coronel Café Orgânico tem produção em meio ao cerrado e uso de homeopatia como diferenciais

ACIF em Revista - edição 279 - Março

Pertencente à família Leonel - atualmente o comando está nas mãos do patriarca Joaquim Antônio Leonel, 71 e dos filhos Alexandre Henrique Leonel, 47 e Gustavo Leonel, 42 – o Coronel Café Orgânico se destaca pelo manejo agroflorestal que realiza na produção e tem como principais características o fato de ser especial e também orgânico, com certificado da IBD (Associação de Certificação Instituto Biodinâmico) Brasil/Europa. A certificação garante que a propriedade não utiliza agrotóxicos ou outros produtos químicos e o café produzido no local tem pontuação acima de 80.

Segundo Joaquim Leonel, a produção de café na família começou com o seu pai Ozório e foi se aperfeiçoando ao longo dos anos. Em 2017, teve início a transição para o café especial e orgânico com o plantio de novas lavouras e a realização da primeira auditoria.

Desse total, 27 hectares, o que corresponde a 60 mil pés, estão plantados em meio ao cerrado. O plantio diferenciado junto ao bioma, caracterizado por árvores nativas grossas e arbustos, recebeu autorização dos órgãos competentes e chama a atenção do mercado internacional. Há inclusive compradores específicos para esse tipo de lavoura.

A propriedade também faz, em lotes selecionados, o uso de abelhas para induzir a florada. A polinização direcionada, feita por uma startup contratada que leva as colméias até a fazenda, ajuda a melhorar o rendimento e a qualidade do grão. “São mecanismos para melhorar a produtividade. As abelhas proporcionam características sensoriais para a bebida”, diz Gustavo.

O arrojado projeto de produção orgânica de cafés especiais inclui ainda a utilização de homeopatia nos cafezais. Os compostos homeopáticos, produzidos por uma empresa da família, são misturados na água e lançados automaticamente juntos aos pés de café, de acordo com a necessidade do solo.

Com dez colaboradores, a Fazenda Bom Jardim produz sete variedades exclusivas de café especial orgânico e projeta uma safra de 1,2 mil sacas para 2020, grande parte por meio de colheita manual. Já a partir de 2021, a propriedade almeja chegar a 3 mil sacas de café especial orgânico. “Os cuidados não são somente com a produção, mas a pós-colheita também tem um papel primordial. Trabalhamos com terreiros suspensos e cobertos com temperatura adequada e alta rotatividade. E assim como as lavouras, os armazéns também são certificados”.

O resultado de todos esses cuidados aparece na qualidade do Coronel Café Orgânico e no valor agregado da produção, com uma saca custando R$ 1,4 mil ante os R$ 450 em média de uma saca de café commodity, sendo comum até mesmo o pagamento para o envio de amostras. Produzindo café de sacaria até o café torrado e moído, a família Leonel atua no mercado interno e externo com foco na Espanha e EUA.

 Leia a revista completa: https://bit.ly/3b7p8hj 

Texto: Marco Felippe / Casa da Comunicação Franca

Fotos: Wilker Maia

  •