Ex-bancária transforma loja em ‘boutique’

ACIF em Revista - edição 278 - Fevereiro

 

Ela já vendeu roupa em casa, trabalhou com moda feminina, masculina e infantil e sonhou ter loja no Centro de Franca, mas é em um espaço muito bem montado, na Vila Chico Júlio, que a empresária Maria Pires Rodrigues Bonfim, 50, tem feito história com a loja Moda Autêntica. Em 2020, a empresa completará 24 anos de mercado com o sentimento de vitória, por ter feito tudo, desde o começo, dentro da legalidade. Maria conta que era bancária e passou a vender roupa em casa no início da década de 90. Sem capital de giro, começou com apenas seis camisetas masculinas e só após quatro anos de trabalho, construiu ao lado da casa dos pais, a loja Moda Autêntica, que mantém até hoje no mesmo endereço. “Confesso que pensei em mudar para o Centro, mas depois resolvi permanecer aqui por ser tranquilo, fácil de chegar e estacionar”.

Maria resolveu após dez anos de mercado que era necessário ter foco e atender apenas um público. “A gente tinha tudo, mas não tinha opção. Então resolvemos ficar somente com a moda feminina, pois também não havia espaço físico adequado para acomodar mais peças”, lembra a empresária, que em 2004 chegou a também trabalhar com sapatos femininos.

A mudança trouxe um novo visual para a Moda Autêntica e inaugurou uma nova fase do negócio. Hoje a loja é praticamente uma boutique. O local é todo climatizado, tem som ambiente e um canto para o suco, a água e o café com alguns quitutes. Maria resolveu trabalhar com alta costura e modinha e atender mulheres que buscam por uma peça mais refinada e ao mesmo tempo com qualidade. Com fornecedores de grifes de São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina, muitos modelos são exclusivos e voltados para os estilos clássico, casual e esporte fino. São praticamente 15 marcas diferentes, com destaque para a grife Seiki, que atende as encomendas das clientes a partir dos modelos escolhidos no catálogo.

Com auxílio da colaboradora Márcia Regina Alves, que é seu braço direito na loja, Maria ainda oferece um atendimento diferenciado. Busca e leva as clientes em casa, amplia o horário de funcionamento quando necessário, oferece o serviço de consignado, faz montagem de looks e o reparo e acerto de roupas no corpo da cliente, sem custo adicional. “Minha mãe Maria Eunice é costureira e quem faz os ajustes e as barras quando precisa. Muitas vezes fica pronto na hora”.

 

A Moda Autêntica tem uma clientela formada ao longo das duas décadas de história - filhas de clientes que compravam moda infantil se tornaram clientes da moda adulta - mas com o avanço da era digital, a loja tem conquistado novas clientes até mesmo fora da cidade e o desejo é de querer ir mais longe. Está nos planos para esse ano, a montagem de um e-commerce. Maria inclusive quer realizar um curso na área e buscar ajuda no Sebrae para concretizar o projeto. “As vendas pela internet cresceram muito. O Instagram e o WhatsApp são ferramentas que temos utilizado a nosso favor. Temos enviado muitos produtos para outras cidades e queremos mais, por isso é preciso estar sempre reciclando”.  Além de conquistar novas clientes, Maria vê as redes sociais como um meio de estar mais perto daquelas que já fazem parte da sua cartela de clientes. “Eu gosto de ter esse contato mais próximo, de passar as informações necessárias, para que elas tenham segurança de fazer as compras. É um mercado novo para mim, mas estou bem positiva. Com trabalho e dedicação chegamos ao nosso objetivo”.

 

Leia a revista completa: https://bit.ly/37YI0ha

Texto: Marco Felippe

Fotos: Wilker Maia

  •