Férias escolares: época para testar, renovar e faturar

07/01/2019

Há duas linhas de pensamento para os empreendedores de bares, restaurantes e rede hoteleira: lamentar pela baixa na frequência, já que as pessoas da cidade aproveitam para viajar, ou ficar apreensivos pela quantidade de novos e efêmeros fregueses que tendem a aparecer, no caso de estarmos falando de um destino turístico.

Em ambas as circunstâncias há muita oportunidade para tirar proveito da situação temporária. Um time de especialistas dá dicas de ouro para ajudá-lo neste caminho.

Cidades que esvaziam
O desafio aqui é atrair para seu empreendimento quem ficou na cidade. Você pode:

- Criar o dia do pequeno chef/bartender/gerente: Além de usufruir do serviço que seu estabelecimento oferece, a família fica feliz pela atenção dada as crianças, que vão aprender como é o trabalho de bastidores do local e, se possível, colocar a mão na massa. Para completar a experiência, dê um mimo para cada pequeno participante (um avental, um chapéu de confeiteiro ou um broche, por exemplo).

- Lance um cardápio especial de férias: Novidades sempre chamam a atenção, e ele também serve como teste para incluir novos itens no cardápio regular depois das férias.

- Aproveite para consertar ou renovar itens de decoração:Com o movimento mais fraco, você pode trocar móveis desgastados por novos ou mandar para o conserto as peças que precisem apenas de pequenos reparos; elas não farão falta como fariam na alta temporada.

- Execute pequenas reformas: Você pode isolar uma área, arrumá-la e estar com o estabelecimento tinindo quando acabarem as férias e o movimento voltar ao normal. Pense neste item e no anterior como investimento para faturamento futuro; nem todo retorno é imediato.

Cidades turísticas
Seu desafio é se destacar no meio das muitas atrações da cidade. Pense em:

- Fazer parcerias com agências de turismo: Elas podem levar grupos de turistas ao seu estabelecimento e encher a casa. Saiba, de antemão, que as agências sempre vão querer negociar preços individuais mais baixos; aceite, pois você ganhará na quantidade.

- Oferecer monitoria cultural infantil: A ideia aqui não é apenas distrair as crianças, mas ensinar a elas a história da cidade. Até os pais vão querer acompanhar as apresentações.

- Criar parcerias com empreendimentos complementares ao seu na cidade: As promoções casadas são ótimas para o turista se sentir mais “local” e para todos lucrarem. Tem um bar? Faça parceria de descontos com uma sorveteria. Seu negócio é um restaurante? A parceria pode ser com uma casa noturna. Hotéis podem fazer parcerias com todos os tipos de negócios da cidade.

Para os dois casos
Alguns desafios são comuns aos dois tipos de localização. Esteja em uma cidade cheia ou vazia, programe-se para:

- Manter as fotos do local atualizadas em sites de indicações de estabelecimentos: Muitos clientes escolhem um bar, restaurante ou hotel por causa das fotos que veem nesses sites. Se elas estiverem muito diferentes das condições reais, prepare-se para as reviews negativas, o que prejudica demais qualquer negócio.

- Ter uma equipe de atendimento sempre bem treinada:Sejam funcionários extras para complementar a equipe diante de uma demanda maior ou os de sempre para atender um público mais cativo, eles devem prestar um bom serviço, pois são o cartão de visitas de qualquer empreendimento. Quem é bem atendido volta, quem é mal atendido não volta e ainda fala mal nas redes sociais.

- Postar bastante nas redes sociais: Não é mais novidade que Instagram e Facebook são fonte de informação para quem procura indicações e referências de lugares para frequentar e onde se hospedar. Faça seu empreendimento estar sempre presente nos feeds, patrocine posts. Não dá para pensar em atrair público sem o apoio das redes sociais atualmente.

Fontes consultadas: Cristiano Melles (presidente da ANR – Associação Nacional de Restaurantes), Alberto Roitman (consultor de carreiras e empresas), Mercia Machado Vergili (diretora e consultora da GSPP São Paulo) e Cris Paola (arquiteta especializada em arquitetura de empreendimentos e comércios)

Fonte: Pequenas Empresas e Grandes Negócios - G.Lab para Makro

  •