Observatório Social de Franca apresenta relatório quadrimestral

10/10/2019

O OSB-Franca (Observatório Social do Brasil, unidade de Franca), apresentou na tarde de ontem seu relatório quadrimestral de atividades. O evento ocorreu na sede da ACIF (Associação do Comércio e Indústria de Franca) e contou com um público de 63 pessoas, dentre elas mantenedores, voluntários, empresários, autoridades e interessados. O encontro também teve a participação do promotor de Justiça do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) de Ribeirão Preto Leonardo Leonel Romanelli e um especialista em tecnologia, Rafael Madureira dos Anjos, que apresentou uma ferramenta de cruzamento de dados capaz de auxiliar os trabalhos do Observatório Social local.

“Trata-se da plataforma Revela Gov. Ela trabalha no cruzamento de dados da administração pública em prol do controle social”, afirmou o coordenador do OSB-Franca, Wilian Karan. “O Revela Gov é capaz, por exemplo, de verificar se os CNPJs de uma licitação aberta são habilitados para firmarem contrato com a prefeitura. Um trabalho que demoraria meses, a partir disso, pode ser feito em questão de segundos.” Já o promotor do Gaeco falou sobre a importância do uso da tecnologia aplicado ao combate à corrupção.

O encontro foi aberto pelo presidente do OSB-Franca, Nilton Colmanetti, que deu as boas-vindas e ressaltou a importância da participação popular no Observatório. “A presença de cada um aqui é muito significativa. Por mais que tentemos fazer deste um ambiente descontraído, estamos todos aqui a trabalho, por um compromisso com a cidade.”

Relatório de atividades

Como prestação de conta de suas ações, a equipe do OSB-Franca apresentou um relatório quadrimestral sobre suas atividades:  envio de ofícios, abaixo-assinado e representação ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas do Estado alertando sobre as condições de assinatura de Concessão do Serviço de Transporte Público Urbano; questionamento quanto a locação do imóvel onde funcionava a Incubadora de Empresas da Base Calçadista, há meses desocupado; contestação da dispensa de licitação para contratação de travessias elevadas, por R$ 769.808,33 e representação no Ministério Público após levantamento das despesas com publicidade institucional apresentarem divergências. O OBS-Franca estima que as atividades de controle social, nos últimos 10 meses, tenham gerado uma economia de R$ 7.348.510,36 aos cofres públicos.

 

Fotos: Nilton Colmanetti, presidente do OBS-Franca, na abertura do evento / Foto geral

Fonte: Assessoria de Imprensa ACIF

  •