Planeje voos mais altos, mas tenha os pés no chão

13/10/2017

Começar pequeno é uma realidade comum a muitos empreendedores, mas essa condição não deve limitar o desejo de alçar voos mais altos. A ousadia é uma qualidade que deve ser exercitada. Outra habilidade necessária para quem se lança na jornada empreendedora é a capacidade de correr riscos calculados.

Nas duas últimas edições do Sebrae Notícias falamos sobre indicadores que sinalizam o momento certo de expandir os negócios. Mostramos as variáveis do mercado e as relacionadas ao ambiente interno da empresa. Nesta edição, vamos apresentar uma ferramenta que ajuda a perceber a viabilidade do negócio: a análise Swot da expansão.

O primeiro passo para esse exercício é reunir a equipe e avaliar, em conjunto, as forças, oportunidades e ameaças futuras do negócio. Algumas perguntas ajudam a clarear o caminho a ser seguido:

Forças internas:

  • O que estamos fazendo especialmente bem?
  • Quais atributos nos distinguem de outras organizações?
  • Quais são nossas principais vantagens competitivas?

Fraquezas internas: 

  • O que não fazemos bem?
  • Quais atividades nos afastam daquilo que fazemos melhor?
  • Quais atividades podemos aprimorar?

Oportunidades de mercado:

  • Quais são as oportunidades existentes para nosso mercado?
  • Quais tendências dominam o setor em que atuamos?
  • Quais são as mudanças que estão impactando o nosso público, quanto aos hábitos de consumo, valores, etc.?
  • Que mudanças vêm ocorrendo no ambiente regulatório do nosso setor de atuação?

Ameaças externas:

  • Que obstáculos (legais, estruturais etc.) temos pela frente?
  • Há novos concorrentes chegando ao mercado? Quais as estratégias desses competidores
  • Concorrentes globais representam alguma ameaça?

As respostas a essas questões vão indicar até que ponto a expansão da sua empresa é viável. São muitas variáveis que devem ser analisadas, pois o ato de empreender consiste na superação de um desafio após outro – e o crescimento do negócio talvez seja o maior deles. Agora, a próxima pergunta: que modelo de crescimento escolher?

Assim, assumindo que cada organização tem suas singularidades, a resposta para a pergunta “qual é o melhor modelo de expansão para a minha empresa?”, nunca será simples. Na próxima edição do Sebrae Notícias vamos apresentar alguns caminhos que podem ajudar a encontrar as respostas.

Fonte: SEBRAE

  •