Quer abrir um negócio em 2020? Veja 7 apostas dos especialistas

06/01/2020

Com 11,9 milhões de pessoas desempregadas, segundo a última Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), empreender vem sendo a melhor alternativa para muitos brasileiros que querem garantir uma atividade econômica e, com isso, o sustento da família.

A pedido do R7, Wilson Poit, diretor-superintendente do Sebrae-SP (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo), e José Fugice, CEO da Goakira Consultoria e Gestão de Rede de Negócios, destacaram quais setores trazem oportunidades promissoras para quem quer abrir o seu próprio negócio em 2020.

“Estou otimista com a recuperação da economia e acredito que, para quem tem vontade de empreender, esse é o momento. Serão as pequenas e médias empresas que vão gerar emprego para quem precisa, e não as grandes”, diz Poit.

Para Fugice, há oportunidades em setores consolidados e em outros que estão começando a surgir no mercado.

“O empreendedor precisa avaliar que tipo de negócio faz mais sentido para o seu contexto e dentro da região que quer atuar. Às vezes estamos mirando muito em algo com um diferencial grande, mas acabamos esquecendo de olhar para as questões locais. Existem clientes em algumas regiões que consideram um diferencial o fato de um restaurante ter ar-condicionado e música ambiente, por exemplo”, pontua.

Confira as dicas:

1) Alimentação fora do lar

Especialista aponta que população está comendo cada vez mais fora de casa

Para Fugice, o setor de alimentação fora do lar continua sendo uma boa opção para investir.

“As pessoas estão comendo cada vez mais fora de casa, seja por questões de conveniência, tempo e, principalmente, experiência diferente. É um setor que vai ser robusto nos próximos anos para se olhar”.

2) Alimentação saudável

Marmita fit é uma das apostas do setor de alimentação saudável

A procura por produtos saudáveis e práticos deve se manter aquecida em 2020. 

“O mercado vem crescendo mais do que 12% ao ano e tem atraído muitos empreendedores. O Sebrae está capacitando empresários interessados em produzir marmita fit, por exemplo”, conta Poit.

Pratos sem glúten, lactose, vegana e vetegariana também devem permanecer em alta, de acordo com o diretor do Sebrae.

3) Economia circular

Em 2020, a palavra de ordem será reutilizar e reciclar, segundo especialista

Para Poit, 2020 será o ano que a população vai valorizar cada vez mais a redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energias.

“A palavra de ordem é aproveitar tudo e não descartar nada. Brechós e grupos de desapego estarão em alta”, diz Poit.

4) Economia prateada (focada nas pessoas acima de 60 anos de idade)

População com 60 anos ou mais deve atingir 1,4 bilhão em 2030

A população com 60 anos ou mais está crescendo a uma taxa de cerca de 3% por ano, segundo dados da ONU Brasil, que também destaca que esse público aumenta mais rápido do que todos os grupos etários mais jovens.

O levantamento também aponta que o número global de pessoas idosas – com 60 ou mais anos de idade – está projetado para aumentar de 962 milhões, em 2017, para 1,4 bilhão, em 2030, e 2,1 bilhões, em 2050.

Com números tão elevados, a procura por produtos e serviços para esse público vem aumentando e os especialistas acreditam que é um mercado que vai trazer muitas oportunidades.

“São pessoas que têm dinheiro e que vão precisar de loja adaptada, aplicativos especializados e de muitos serviços para atendê-los. O potencial é enorme”, afirma Poit.

Fugice concorda com Poit e acrescenta que as franquias com negócios voltados para a terceira idade continuam sendo uma aposta.

“É um público que vem sendo mal atendido e tem pouca oferta de serviços e entretenimento. É uma área para se olhar com carinho”, diz Fugice.

5) Estética e beleza

Setor de beleza espera crescer 10% em 2019

O setor de beleza foi um dos poucos que permaneceu firme durante a crise econômica que assolou o Brasil nos últimos anos. Para 2019, a expectativa é a de que se confirme um crescimento de 10%, segundo o Sebrae.

"É uma área que não para de crescer e sempre traz inovação para manter o consumidor cada vez mais envolvido", diz Poit.

6) Mercado pet

Brasil tem atualmente 132 bilhões de animais de estimação, segundo o IBGE

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil tem hoje 132 bilhões de animais de estimação. Por trás deles, donos loucos por novidades, mimos, comidas e serviços para agradar seus bichinhos.

A previsão é que o setor atinja um faturamento de R$ 20 bilhões em 2020.

“Há uma série de opções para o empreendedor abrir um negócio, principalmente de serviços em domicílio. O Sebrae está preparando diversos cursos para atender esse público em 2020”, sinaliza Poit.

7) Microfranquias

Microempreendedores ultrapassam a marca de 9 milhões no país

As microfranquias estão se mostrando uma grande oportunidade para quem está desempregado e tem pouco dinheiro para investir, segundo o diretor do Sebrae.

Ele diz que em 2020 devem ser realizadas várias feiras específicas para o público interessado no segmento, que traz opções de negócio a partir de R$ 1 mil.

A maioria das opções permite que o empresário se inscreva no MEI (Microempreendedor Individual) e pague menos impostos.

O número de MEIs no país ultrapassou a marca de 9 milhões em 2019. Somente neste ano, 1,3 milhão de brasileiros se inscreveram na modalidade.

Entre as apostas de Poit, estão: venda de sanduíches e sorvetes em bicicleta.

Fonte: Márcia Rodrigues, do R7

  •