Você empresário, já fez uma live de venda? Conheça essa nova tendência em vendas online

Live commerce. Esse termo mesmo que soe novo no Brasil, já é um velho conhecido no mundo. Na China, por exemplo, o live commerce é uma categoria de vendas online que já movimenta bilhões de dólares.

Alguns vão dizer que a China é um ponto fora da curva, e seria muito distante usarmos o país como referencia, porém no Brasil, uma somatória de fatores potencializou a mutação dessa forma de venda de produtos e serviços neste último ano.

Segundo estudo da app Anime, o Brasil é o 3˚ país no mundo que mais se gasta tempo na navegação em smartphone, tempo esse, majoritariamente dividido em mensagens, ligações e principalmente redes sociais. Dentro desse universo, o Instagram, por exemplo, potencializou seu algoritmo responsável pela apresentação dos stories – buscando maior engajamento do público que consome esse tipo de mídia. A rede social ainda disponibilizou a funcionalidade do Instagram Reels, e também o Instagram Shop.

“Se olharmos profundamente começamos a perceber que a própria mídia social esta se direcionando para ser uma constante Live Commerce, a partir do aumento de uso do celular, facilidade tecnológica de publicação e disponibilidade de produtos e serviços. Basicamente está havendo uma popularização, casada com a digitalização da antiga forma de venda que éramos acostumados a ver naqueles canais de venda integral de produtos, nos áureos tempos de venda do Ciro Bottine”, avalia o sócio diretor de operações Latam da Corebiz, maior agência de e-commerce e soluções digitais da América Latina, Bruno Cury.

Mais o que é Live Commerce?

Se traduzirmos ao “pé da letra”, é um e-commerce ao vivo, o que dentro do contexto real é basicamente a estratégia de unificar a apresentação do produto em “real time”(streaming ao vivo), com a possibilidade de compra através da Internet a partir da apresentação, buscando uma relação mais próxima e engajada dos consumidores com a marca.

 ‘Fiz e deu certo’.

Em Franca, assim como em outros locais do Brasil, as lives commerce ou lives de vendas, como são mais popularmente conhecidas, também começaram a surgir como estratégia de vendas com a pandemia do Covid-19. Diversas empresas, de diferentes segmentos, aderiram ao formato e a ACIF em Revista convidou três empresários da cidade para falarem da experiência com esse novo modelo.

“A idealização foi da minha filha Lorena Salomão, de 18anos. Por ser sangue novo, ela fez o curso oferecido pela ACIF com o Bruno (Cury) – ‘Meu Primeiro E-commerce’ - e em 15 dias planejou tudo para a primeira live que aconteceu em setembro do ano passado. Ela mesmo delegou funções, arrumou narrador, organizou modelos e envolveu a família. A live foi um sucesso, ajudou a divulgar a loja e promoveu interação entre os clientes, além de conseguir resultado em vendas compatível a dois dias de loja física”, Aline Mirllan Araújo Salomão, da Salomão Country.


“A primeira vez que fiz uma live de vendas foi no início da pandemia. Alguns representantes me passaram uns cases de sucesso e aceitei o desafio. No dia, teve 300 participantes, mas não efetivou em vendas. Fui então buscar mais conhecimento sobre o assunto e no curso ‘Meu Primeiro E-commerce’, conseguiu um material que me ajudou muito. Descobri que precisava fazer no formato de uma loja online, com um ambiente preparado, fazendo a apresentação dos produtos e de maneira dinâmica. Assim, fizemos a segunda live, que teve 3 horas de duração durante a noite e o resultado foi fantástico. Movimentou as redes sociais e efetivou muitas vendas, principalmente no pós, quando os clientes foram até a loja retirar a mercadoria”, Keite Cintra Taveira, da Traje Mania.

“Na Frelith, a ideia partiu dos colaboradores e foi mais para promover o nosso bazar. Separamos 82 produtos do nosso estoque e o resultado foi muito bom. Em duas horas de evento, vendemos tudo. Nós intercalamos venda e informações sobre o produto, como concluir a compra e retirar o produto. Nos bastidores, uma pessoa ficou responsável por ir anotando o código do produto e a pessoa que teve interesse para enviar o link de pagamento. Valeu muito a pena ter feito, fizemos venda e tivemos crescimento no número de seguidores no Instagram. Com certeza, faremos outras ao longo deste ano”, Thalles Silva, da Frelith.

 

Dicas para sua Live de Vendas, por Bruno Cury

  1. Ofereça descontos exclusivos

Quer ter sucesso com essa estratégia? Um dos primeiros passos, independente do canal a ser usado, é oferecer descontos exclusivos para os espectadores da sua live. Use de forma favorável o anseio do mercado por esse tipo de mídia para fazer algo diferente - fuja do mais do mesmo.

Selecione os produtos mais procurados e crie links com descontos para que sejam vendidos durante o tempo da transmissão (utilize os comentários para compartilhar). Oferecer descontos por tempo limitado ajuda a criar um senso de urgência e, assim, aumentar o potencial de conversão dos produtos.

  1. Use as redes sociais da sua marca

Não adianta fazer todo o planejamento da live, organização e estudo de descontos e produtos e ninguém estar ciente de quando, como e onde irá acontecer. Divulgar em todos os canais é tão importante quanto a sua live. Busque antecipar algumas ofertas “iscas”, mostrar os bastidores do evento (sim considere como um evento), trabalhe com uma lista de “pré-convidados”, para a captação de e-mails, criei grupos VIP’s no Whatsapp, etc. Depois, é preparar o estúdio, escolher os produtos e começar a transmissão.

  1. Promova seus produtos em canais de influenciadores

Como o live commerce pode ser realizado sem grandes estruturas, é possível expandir o seu público ao realizar parcerias com influenciadores digitais. Escolha criadores de conteúdo com familiaridade com o público da sua marca para que eles realizem a transmissão em seus canais.

É possível, ainda, promover a transmissão em simultâneo nos canais da sua marca e do influencer escolhido. Faça o teste para avaliar o retorno. Caso seja positivo, expanda esse investimento para criadores de diferentes nichos e alcances.

  1. Crie estratégias de gamificação

Por fim, o formato de live streaming permite realizar interações diferenciadas com seu público. É possível, por exemplo, propor desafios em troca de descontos progressivos ou, mesmo, missões em troca de benefícios como cashback, por exemplo. Use a sua imaginação para promover a melhor experiência possível - o objetivo aqui é engajar o publico e direcionar a estratégia para o que é mais aderente a ele.

Uma última dica é “Faça”, o momento do live commerce é agora, e esse tipo de estratégia pode fazer total diferença para seu negócio.

Fonte: ACIF em Revista de Fevereiro - 2021

  •